04/05/2022 às 07h43min - Atualizada em 04/05/2022 às 07h43min

ITEC IMPLANTA SISTEMA DE RECONHECIMENTO FACIAL COMO MEDIDA DE SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO

Entrada das dependências da gerência de operações contará com a tecnologia

A Gerência de Operações (Gero) do Instituto de Tecnologia em Informática e Informação (Itec), responsável, dentre outras questões, pela gestão do data center do Governo de Alagoas, vem passando por transformações desde o início das mudanças estruturais vivenciadas pelo Instituto, cujo prédio sede está sendo reformado. Além de mais espaço, concentração dos setores e melhores condições de trabalho, agora a equipe inicia as ações de segurança física do parque tecnológico estadual, implantando reconhecimento facial na entrada das dependências da gerência de operações.

 

"A primeira etapa foi construir uma infraestrutura tecnológica que minimizasse a possibilidade de ataques hackers. Não existe segurança 100% em lugar nenhum, contudo, a equipe do Itec vem obtendo êxito e até temos um histórico no Nordeste de um data center seguro, em razão das barreiras tecnológicas. Como consequência do aprimoramento, estamos iniciando a segunda etapa, relacionada à segurança física. Estamos implantando um sistema de reconhecimento facial para entrar na Gero, a fim de garantir a veracidade de quem entra e sai de um espaço tão importante para o Governo de Alagoas", explicou Álvaro Oliveira, gerente de operações.

 

 

O próximo passo do Itec é implantar outras medidas físicas de segurança, também na área da central de monitoramento e, por último, no próprio data center, nas quais haverá o que se chama de dupla faturação, ou seja, além do reconhecimento facial, haverá uma contra-chave, vinda diretamente do NOC (centro de operação de rede), que vai autorizar e registrar nos servidores toda a entrada e saída, com datas e horas, além de medir a temperatura do ambiente.

 

Os data centers possuem uma classificação internacional intituladas Tier I, II, III e IV, e cada categoria corresponde ao nível de segurança e maquinário. "Nós estamos entrando na classificação Tier III, aquela estrutura de TI que já pode contar com equipamentos de redundância em número satisfatório. Estamos dando um salto nas tecnologias que são empregadas nos grandes data centers e que também estão sendo empregadas no Itec, claro que numa escala muito menor, mas em pé de igualdade na questão funcionalidades", finalizou Álvaro Oliveira.




















alagoas.al.gov.br


Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »

O que deve ser feito com os prédios abandonados de Maceió que oferecem riscos à saúde pública e à vida das pessoas?

75.6%
24.4%
Fale pelo Whatsapp
Atendimento
Precisa de ajuda? fale conosco pelo Whatsapp