22/02/2022 às 08h57min - Atualizada em 22/02/2022 às 08h57min

NOTAS ALTAS EVIDENCIAM BOM DESEMPENHO DE ESTUDANTES DA REDE PÚBLICA ESTADUAL NO ENEM 2021

As inscrições para o Sistema de Seleção Unificado (Sisu) terminaram na  sexta-feira (18), e, na ocasião, candidatos lançaram sua sorte na busca por uma vaga no ensino superior. Em Alagoas, alunos da rede estadual tiveram um excelente desempenho nas provas do Enem (Exame Nacional do Ensino Médio) e disputam vagas em concorridas instituições como a Universidade Federal de Alagoas (Ufal) e Universidade Estadual de Alagoas (Uneal), por exemplo. Dentre os quais, estão estudantes premiados nas principais olimpíadas de conhecimento da Educação Básica, uma experiência que os preparou para conquistar uma pontuação alta.

Uma delas é Gabriela Souza, que concluiu o ensino médio pela Escola Estadual Almeida Cavalcanti, de Palmeira dos Índios. Tetramedalhista da Olimpíada Brasileira de Matemática das Escolas Públicas (OBMEP) – sendo a última o primeiro ouro conquistado por uma alagoana na competição -, ela teve desempenho destacado no Enem, o que inclui 960 pontos na redação, 801,9 em matemática e média geral de 710,52.

“O apoio dos professores foi fundamental neste período do Enem. Na redação, nossa professora Graça sempre passava textos com possíveis temas que nos faziam sentir mais seguros para a prova. Em relação à matemática, como já estudava desde cedo para a OBMEP, participando dos treinamentos promovidos pelos professores da Ufal, eu me acostumei a resolver problemas com um grau de complexidade maior e isso refletiu na minha nota”, relata Gabriela que busca uma vaga em Engenharia na Ufal e, no último dia 17, foi homenageada como uma das alunas destaque da 3ª Gerência Regional de Educação (Gere) na aula de boas-vindas do ano letivo 2022.

Gabriela não é a única medalhista da OBMEP com bom desempenho no Enem. José Guilherme Pimentel, o qual conquistou prata pela Escola Estadual Aristheu de Andrade, de Colônia Leopoldina, somou 825,3 pontos em matemática e média geral 691,66. O estudante, que também foi bronze na Olimpíada Alagoana de Química em 2021, tentará uma vaga para o curso de Ciências Biológicas.

“Essas provas ajudam muito, principalmente se você já tem um interesse pela área, porque as questões são desafiadoras e geram um grande incentivo para aprofundar o seu conhecimento. Além disso, o formato é o mesmo do Enem, o que representa uma ótima chance  de se preparar para o exame”, pontua Guilherme.

Ouro no OLP

De Arapiraca, Vítor Soares integra o grupo que, sob a orientação da professora Lívia de Oliveira, produziu textos para o relato de prática que trouxe ouro para Alagoas e para a Escola Estadual Quintella Cavalcanti na categoria Artigo de Opinião da Olimpíada de Língua Portuguesa (OLP). Mostrando que a prática leva à perfeição, Vítor fez 860 pontos na redação e 630 na média geral e almeja uma vaga no curso de História da Uneal.

“As práticas da OLP foram ótimas para aprimorar não só a minha, mas a escrita da turma inteira, uma vez que nós tivemos que escrever e reescrever nossos textos diversas vezes, a fim de melhorar cada vez mais. Além disso, os estudos e pesquisas durante as produções da olimpíada serviram como repertório sociocultural na hora da redação”, revela Vítor, dizendo que Lívia e os demais professores do Quintella o inspiraram a seguir a carreira da Educação.

Orgulhosa pela conquista de seus estudantes, Lívia fala que a participação na OLP não só os preparou para o Enem e outras avaliações externas – a exemplo do SAEB – como também revelou talentos. “As práticas da OLP auxiliaram não só no Enem e em avaliações externas como o SAEB, mas também ajudaram a revelar novos escritores. Um de nossos alunos, por exemplo, teve artigo reconhecido e publicado em um jornal local. Estamos muito felizes, esse resultado evidencia o trabalho feito em sala de aula e tenho certeza que comemoraremos ainda mais”, aposta a professora.

Diferenciados

O superintendente de Políticas Educacionais da Secretaria de Estado da Educação (Seduc), Ricardo Lisboa, diz que a participação nas olimpíadas de conhecimento faz com que o estudante esteja mais bem preparado para ingressar no ensino superior.

“As olimpíadas têm o papel de identificar talentos e termos alunos que obtiveram pontuação acima de 800 em matemática é algo fantástico. Por isso, é essencial incentivarmos mais estudantes a participarem destas competições, pois, quem tem bom desempenho nas olimpíadas, consequentemente, será um bom aluno nos componentes curriculares, terá sucesso no Enem e será capaz de concorrer aos cursos mais disputados do Sisu”, avalia Ricardo.

O coordenador da OBMEP em Alagoas, Adelailson Peixoto, acredita que os medalhistas têm condições de ingressar em qualquer curso de Exatas na Ufal, caso assim desejem. “A OBMEP ajuda a trabalhar habilidades matemáticas a partir do raciocínio lógico, uma estratégia que tem tudo a ver com a forma como o conhecimento e a aprendizagem são adquiridos, ou seja, como se dá a formação do conhecimento científico. Consequentemente, um aluno que se destaca na OBMEP acaba sinalizando uma boa preparação em sua formação, inclusive para o Enem”, frisa Adelailson.

Ele lembra ainda que os medalhistas, ao ingressarem em universidade pública ou privada, podem se candidatar às bolsas do Programa de Iniciação Científica e Mestrado (PICME) da OBMEP.  As inscrições já estão abertas e devem ser feitas pelo site https://picme.obmep.org.br/ até 09 de junho. Os selecionados receberão bolsas da CNPq no valor de R$ 400 mensais.

Sisu- O resultado da chamada regular do Sisu 2022 será divulgado nesta terça-feira (22) e, já no dia 23, os candidatos aprovados poderão efetuar suas matrículas nas instituições de ensino superior.














alagoas.al.gov.br


Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Fale pelo Whatsapp
Atendimento
Precisa de ajuda? fale conosco pelo Whatsapp