23/01/2022 às 12h19min - Atualizada em 23/01/2022 às 12h19min

Nível do São Francisco volta a subir e comerciantes já desocupam orla de Penedo

O aumento gradativo do nível do rio São Francisco alcançou nesse sábado, 21, a área das barracas da Prainha de Penedo, espaço bastante frequentado por moradores e turistas que foi visitado por membros da Defesa Civil de Penedo, que orientaram comerciantes sobre a necessidade de retirar equipamentos, principalmente freezers e geladeiras, assim como suspender o atendimento ao público devido ao alagamento do espaço utilizado por barraqueiros e banhistas. A grande maioria dos comerciantes já desocuparam a área. 

A previsão é de que a vazão deverá chegará a 4.000 m³/s nesta  segunda-feira, 24. O monitoramento do rio São Francisco em Penedo aponta que a lâmina d’água está próxima de atingir a altura de 3 metros, praticamente o dobro do nível registrado na segunda-feira, 15 de janeiro. Na primeira data do acompanhamento diário, o rio estava com 1,75 m na régua instalada ao lado da estação do SAAE Penedo, na Rocheira.
O aumento é resultado de mais água liberada da Usina Hidrelétrica de Xingó, em Piranhas, chegando neste final com mais de três mil metros cúbicos por segundo. Isso significa que as correntezas estão mais fortes e há flutuação de vegetação aumenta consideravelmente, a ponto de interferir na regularidade do abastecimento de água para a cidade.

 

Prefeitura oferece suporte - O reforço no trabalho de informação realizado desde o início da semana, quando a CHESF emitiu o alerta para situação de cheia na região Baixo do São Francisco, foi acompanhado pela disponibilidade de transporte para a remoção do material e das pessoas.

“Eu tenho 33 anos de Prainha e já peguei quatro cheias A maior foi em 2004 e levou tudo, dali do cais a gente via só os postes da Prainha”, recorda Eusébio dos Santos recorda o presidente da associação dos comerciantes da área pública de lazer, ressaltando que a prefeitura está oferecendo ajuda para os comerciantes desocuparem a área, para evitar maiores transtornos e prejuízos financeiros. 
As plantas acumuladas na estação de captação tornam o serviço de limpeza e retirada do material mais constante, com mais tempo para ser concluído. O resultado é a suspensão do serviço em intervalos maiores, causando inclusive desabastecimento para algumas localidades, situação que permanecerá até a redução de ‘baceiros’ no rio.
Em função do panorama atual, a Defesa Civil de Penedo orienta que moradores e visitantes evitem entrar no rio, principalmente nas imediações da Prainha, local onde cobras foram avistadas durante a inspeção realizada na manhã desse sábado.

 








tnh1.com


Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »

O que deve ser feito com os prédios abandonados de Maceió que oferecem riscos à saúde pública e à vida das pessoas?

75.6%
24.4%
Fale pelo Whatsapp
Atendimento
Precisa de ajuda? fale conosco pelo Whatsapp