13/01/2022 às 08h13min - Atualizada em 13/01/2022 às 08h13min

ALAGOAS REGISTRA DOIS CASOS DA VARIANTE ÔMICRON; UM DOS INFECTADOS VEIO A ÓBITO

Infectados são de Maceió, ambos do sexo masculino, de 74 e 52 anos, respectivamente

A Secretaria de Estado da Saúde (Sesau) informa que foram confirmados, nesta quarta-feira (12), os dois primeiros casos de infecção pela variante ômicron em Alagoas. Os infectados são de Maceió, ambos do sexo masculino, de 74 e 52 anos, respectivamente. O mais velho veio a falecer em decorrência da doença. 

O homem de 74 anos não tinha histórico de viagens e estava vacinado apenas com a primeira dose de vacina contra Covid-19. Ele era alcoólatra e tabagista, e veio a falecer no dia 21 de dezembro de 2021. A Sesau ainda esclarece que, a confirmação dos casos se deu após o sequenciamento genético realizado pela rede de vigilância genômica, da qual fazem parte os laboratórios de saúde pública estaduais em colaboração com os laboratórios de referência nacionais (LACENs/Fiocruz), por isso, a morte só divulgada depois da investigação.

O outro caso, do infectado de 52 anos, está sendo monitorado, juntamente com sua família, pela equipe da Sesau. O paciente tomou as três doses da vacina contra Covid-19 e possui comorbidades como hipertensão, obesidade e diabetes.

De acordo com a Gerência do Laboratório Central de Saúde Pública (Lacen) e com o Centro de Informações Estratégicas e Resposta em Vigilância em Saúde (CIEVS), a variante ômicron, de linhagem B.1.1.529, identificada inicialmente na África do Sul em novembro de 2021, é uma das variantes do SARS-CoV-2 com alto número de mutações, incluindo 26-32 na proteína spike, sendo classificada pela Organização Mundial da Saúde como Variante de Preocupação (VOC) considerando a sua transmissibilidade e resposta de neutralização da vacina.

Os dados disponíveis ainda são limitados com respeito à sua transmissibilidade, gravidade da doença e potencial de escape imunológico em relação a outras variantes cocirculantes do SARS-CoV-2. A Sesau ainda alerta que não há motivos para pânico e pede para que todos os alagoanos continuem se cuidando, usando máscaras e mantendo o distanciamento social.







alagoas.al.gov.br


Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »

O que deve ser feito com os prédios abandonados de Maceió que oferecem riscos à saúde pública e à vida das pessoas?

75.6%
24.4%
Fale pelo Whatsapp
Atendimento
Precisa de ajuda? fale conosco pelo Whatsapp